GEO TOLBAR MIS VISITANTES DE HOY

29 jul. 2012

A dor da Helpless

A dor da impotência em um mundo em crise.

Lendo tudo o que puder sobre os eventos no meu país eo mundo continua a impactarme nestes dias de de 2012 Jogos Olímpicos de Londres, a dor da impotência. A crise que começou a afetar os EUA ea Europa não parece ceder. Mas os governos estão desesperadamente preocupado em tratar e ajudar os bancos e manter o euro a todo custo.

O mundo não se limita aos EUA e Europa, e ainda toda a atenção do maior para o menor e está vendo o que vai e as consequências de tanta especulação e má gestão. A responsabilidade é, sem dúvida que gerir os interesses públicos, mas, mais ainda, um modo de vida que temos dado de volta para aqueles que continuam a sofrer sem aviso prévio qualquer um deles.

Hoje eu li que em Espanha, a crise vem afetando as famílias que têm crianças à sua guarda ou sob a qual o Estado subsidia para cuidar de sua subsistência. Essas crianças de hoje estão em risco de voltar ao seu estado anterior "devolvido" como "objetos" e não seres humanos com problemas graves, incluindo o de ter tido várias desistências. E hoje, expostos a um novo abandono. Ser entregue a várias instituições de onde partiram.

Através das diferentes sociedades através da informação, milhares de milhões de pessoas sofrem de um total abandono ea crise deve nos dar uma nova forma de pensar em nós mesmos no momento em que nos mantém atolados em paralisia e tentar fazer malabarismos para manter uma modo de vida que chegou ao fim.

Excessivo individualismo eo egoísmo que levou as razões e as causas da crise que o mundo enfrenta. Embora fosse o "consumismo e aquisição de um curso ser" a verdadeira crise acontecendo ao nosso lado e nós olhamos (com exceção de alguns que estão sempre lá para os outros) para parar e ver se estávamos a se espalhar. E como diz o ditado: Se você chegou a seu vizinho você também tem que tocar em você.

É tempo para refletir, para olhar, para repensar e sociedade humana. Para reconstruir os valores fundamentais que sustentam a vida. Esta é a nossa chance de acabar com o preconceito de muitos que têm vindo a sofrer de desamparo.Podemos sempre fazer. Não, se as soluções estão passando os mesmos esquemas que acabaram nos levando a viver o que eles sempre foram vivendo "outro" e que nos acontecem.

É tentativas genuínas para salvar os sistemas financeiros, especulativos, como você pode, apesar do sacrifício que temos de fazer, criar uma sociedade mais justa, solidária, justa? Definitivamente mais digno.

A dor do indefeso sempre alegou. Chama-nos a pôr de lado os padrões de pensamento que vêm do egoísmo, individualismo, narcisismo, egocentrismo.

É a nossa vez. O tempo da humanidade. O tempo do encontro com os verdadeiros valores. Colocando culpar uns aos outros e para encontrar mais pontos de desunião do sindicato. É hora de sentir a responsabilidade, como parte da sociedade humana, temos toda esta dor que deixou o gemido impotente e morrer na mais absoluta indiferença dos sistemas que criamos.

É um trabalho impossível, apenas o suficiente para olhar para o outro lado a lado e começar a ver a nós mesmos como "seres humanos com direitos e oportunidades iguais", chegou a se começar a ajudar uns aos outros. Veja a crise atual como uma guerra devastadora se tivéssemos alcançado. Levante-se e unir-se atrás de um objetivo comum que vai além dos interesses de ideologia.

No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada

Todos tus comentarios son bienvenidos, las opiniones más divergentes expuestas con respeto siempre pueden encontrar un común enriquecimiento.